quinta-feira, 9 de abril de 2015

UM PEDIDO DE URGÊNCIA

...  MAIS CURTO E REFOGADO
- sobre o estômago da indignação derrama-se a bílis em caldo grosso-
 " Um brasuca não recomendável refogou em fogo brando um fino discurso para dizer  /m...a/: bem que eu gostaria de  dar o troco na mesma /m...a/ moeda!" Ivane Perotti

                                      Quem tem classe vai à... não vai! Não vai e nem assina o show de horrores truiturados por um nativo genuíno desta terra aleitada a samba e outros matizes. Terra de cultura mestiça, castiça, de gente esfolada pela natureza da parca condição. É uma pegadinha de mau jeito, né Ed? Qual a tua, Motta?
                                     A dele, não sei, mas a minha é botar os bofes na semântica de mau olhado que o senhor musicista ( será o termo suficientemente erudito para designar tão nobre cavalheiro?) deveria ter guardado para consolar-se no purgatório dos perrengues da sofisticação.  Que se confirme o /mal-mau-bau-dito/: "... turma de brasileiros simplórios..." nas páginas telúricas das notícias embaladas em  berços de pouca monta, ou pouco Motta!, o que me isenta de repetir o irrepetível. Simplíssima simplicidade: simplória decisão!
                                      Pelo direito inoculável ( começa-se a pensar pelos ouvidos e depois, particularmente, pelo nariz, processo que assumo agora em pragmática desilusão) de introduzir-me tautologicamente nas referidas referências de nosso erudito Ed, rogo-me direitável ao direito de ruminar. Onde "ele"  escreveu : "... meu show é para quem tem classe, erudição, sofisticação...", leia-se com remendos os seguintes vocabulários:
1. classe:  palavra que sobrevive entre contextos taxonômicos, sem direito ao uso biológico de táxis  nem filos, nem às tarifas esperadas pelas escolas públicas para abrigar as... as...partes carnudas e globulares que formam o universo posterior da coxa, independente dos centímetros injetados na profusão das diferenças estéticas, econômicas ou de laico geneticismo.
2. erudição: forma oblonga e de curto diâmetro que se alastra pelas portas das academias de treinamento físico, agronômico e quiroprático. Vulgo verbete aceito pelo casual e repetido uso em convenção social de poucos pratos - aqueles de papelão colorido, não recicláveis e que molham o fundo facilmente em detrimento do recheio da pizza, ou da torta, ou da... entendeu-se, claro! Somos todos erufitos! e as nefrites nos provam as inflamações dos tecidos da conjuntura assintomática. Assim é!
3. sofisticação: palavra derivada do processo que explica o excesso de sol sobre as requentadas - ou /re/quintadas - marmitas de urgência utilizadas em caso grave de afinamento das despesas alheias. Palavra de longo alcance, especialmente em se tratando de terras nativas onde a originalidade causa primoroso rebus...rebus... rebuscamentos minimalistas. Oh! nada que se defina por opções machistas de primoroso aprimoramento de cães ou gatos. Todos os animais são bem-vindos! E que cheguem como estiverem!
                       Pois, enquanto o "...mundo inteiro fala inglês", eu provo da facilidade de se escrever /m...a/, perdendo a oportunidade de apenas fazê-la em outras circunstâncias e abençoar este espaço morfológico com o silêncio vazio!

                               Sem berros! Só a bílis... só a bílis...

Ivane Laurete Perotti